Floresta e moda, uma opção sustentável?

Sabiam que as fibras de origem florestal necessitam de 60 vezes menos água que o algodão e produzem 13 vezes menos emissões de carbono do que o poliéster? Desta forma acabam por ser uma excelente alternativa não só aos tecidos sintéticos, que são responsáveis por meio milhão de toneladas de microfibras de plástico, que quando não são recicladas acabam nos oceanos, mas também são uma alternativa ao algodão, que é uma cultura que requer muita água.

Os materiais mais utilizados na indústria da moda são as fibras sintéticas e o algodão, cerca de 88%, daí ser fundamental mudar o setor da moda e torná-lo mais sustentável através por exemplo da utilização de outros tipos de matérias-primas, como as fibras de origem florestal.

A Comissão Económica das Nações Unidas para a Europa (UNECE) e a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) estão a trabalhar em conjunto na iniciativa Forests for Fashion, que liga os materiais provenientes florestas geridas de forma sustentável ao mundo da moda.

Saibam mais sobre o projeto Forest for Fashion em https://www.pefc.org/projects/markets/forests-for-fashion-initiative

Gostaste do que leste?

Então, partilha este artigo!

Outras notícias

Os vencedores já foram escolhidos!

19 junho, 2019

Os vencedores já foram escolhidos!

Depois de uma votação aberta ao público, a equipa do projeto reuniu-se para definir as 5 ideias vencedoras e…já temos a escolha!

Termina hoje a votação do público!

12 junho, 2019

Termina hoje a votação do público!

Se ainda não votaste no teu trabalho favorito, hoje é a tua última oportunidade!

Acompanha as ideias vencedoras!

9 setembro, 2019

Acompanha as ideias vencedoras!

A Nossa Floresta está de regresso!

Porque devemos valorizar a Floresta Autóctone?

22 novembro, 2019

Porque devemos valorizar a Floresta Autóctone?

Amanhã comemora-se o Dia da Floresta Autóctone! Mas sabes o que significa? E porque estas espécies são tão relevantes? A floresta autóctone representa as árvores originárias do próprio território: neste caso, o nosso, português!